Rashid - Entrevista Curta Pro “Jornal São Remo” [Veja Aqui]

Rashid Mc Nascido na zona norte de São Paulo e criado no interior de Minas Gerais, Rashid lançou seu primeiro EP (mini-álbum) em 2010. Agora, com 24 anos, já é considerado um dos grandes talentos do rap brasileiro atual – que tem explodido no cenário musical, conquistado novos públicos e se revitalizado desde 2011. Tem em Racionais, Facção Central e RZO, entre outros nacionais, suas grandes influências musicais.

Em março, lançou “Que Assim Seja”, seu terceiro disco, com estilo característico e rimas instigantes – cujo conteúdo “vai de amor a protesto”, nas próprias palavras. Foi, ainda, indicado a duas categorias no VMB da MTV, maior prêmio musical da TV brasileira, no qual também se apresentou ao lado de Emicida, na quinta-feira (20). Com shows lotados por vários cantos do país e novos projetos pela frente, o MC conquista cada vez mais ouvintes – são mais de 100 mil fãs no Facebook e seguidores no Twitter.

O que o influenciou a escrever o seu primeiro rap? E a seguir carreira?
Meu primeiro rap nasceu da identificação com o ritmo, da forma como os artistas que eu admirava me inspiravam, porque eles cantavam a minha realidade. A partir disso pra quando eu me vi querendo isso pra minha vida foi muito rápido e natural. Um sonho, né? Difícil explicar como nasce um sonho, acho que ele já nasce com você!

Pra você, como foi crescer na periferia? De que forma isso influencia suas músicas?
Passei por muita coisa
difícil, principalmente quando fui morar em Minas Gerais (Serra de Ijaci, Lavras é a cidade referência). Mas vendo a luta da minha mãe pra criar os filhos sozinha, me incomodei e na tentativa de ajudá-la formou-se o meu caráter.  Acho que a periferia trouxe a força pra minha música.

Em sua opinião, qual é a importância do rap para o contexto sociocultural brasileiro e na vida das comunidades, principalmente dos jovens?
O Rap sempre foi um ritmo que passa uma mensagem relevante pra cultura jovem: não confie
na política nem na policia; não espere que ninguém faça a sua parte por você, etc. O Rap forma mais do que fãs e ouvintes, acredito que a intenção do Rap sempre foi gerar pessoas melhores.
Quais são seus maiores objetivos profissional e pessoal?
Meu maior objetivo profissional é continuar contribuindo da melhor maneira pro crescimento do Rap. Meu maior objetivo pessoal é ser feliz fazendo isso, e fazer as pessoas ao meu redor felizes também.

Recentemente, você recebeu um convite do Emicida para se apresentar junto a ele no VMB. Como surgiu o convite?
Ele me chamou e eu falei: Claro! rs Um convite foda, espero somar da melhor forma.

Qual é a sensação de ter sido indicado em duas categorias do VMB, de ver o rap nacional representado em peso e ainda ter a oportunidade de se apresentar em um evento como esse?
Muito louco ver o rap assim e poder fazer parte disso. Concorrer no VMB é outra felicidade também, um prêmio com uma representatividade imensa no meio musical e lá estou eu, mulequinho da Zona Norte de SP, criado no interior de MG.
Que conselho você daria a quem está iniciando ou quer iniciar no rap?
Peço, PEÇO mesmo que acreditem em si, e acreditem no que fazem. Primeiro faça pra você, agradar as pessoas é consequência. Trabalho duro, é isso!
Veja o clipe da música R.A.P.:
Fonte: www.eca.usp.br (Jornal São Remo)

KOLLY AKA P.GANGSTA. Com tecnologia do Blogger.